quinta-feira, agosto 30, 2007

NOSSOS DIAS (by Rê Michelotti)


Já perdi as contas de quantos dias estou sem ver o sol... e esses dias sombrios e chuvosos acabam por me chatear. Não vou dizer que os dias cinzentos não me agradam, de alguma forma também me agradam, mas assim de forma ininterrupta eles castigam o meu bom humor!

Parece que se o sol não bate na janela do meu quarto, o dia não começa da mesma forma... e não é apenas impressão - ele de fato não começa! Estamos profundamente ligados ao clima, ao tempo... é como se ele nos impusesse o seu próprio ritmo.

Quando o dia amanhece com céu azul e sol brilhando, por exemplo, somos empurrados da cama e tudo parece fluir com leveza, ao contrário dos dias escuros, que nos prendem... nos deixam sonolentos, e até mesmo meio preguiçosos, como gatos enroscados no tapete da sala.


Ao final do dia tive uma ligeira esperança de poder finalmente ver o sol bater na minha janela amanhã logo cedo, no entanto, tal esperança logo se desfez... e novamente chove por aqui, chove como nunca!

Agora eu devia estar na cama, tentando dormir... embora já tenha tentado, mas foi em vão! Decidi ler um pouco, escrever, buscar uma alma com quem eu pudesse trocar umas palavras, talvez rir um pouco, talvez dividir um segredo... mas a chuva que cai lá fora parece ter convidado todos para dormir mais cedo.


E eu aqui....acabo lembrando de uma música do Titãs que tem a ver com esse meu momento "perdida na noite" (risos): "minha mente gira como um ventilador"... penso no que devo fazer amanhã, no que vou preparar para o almoço, com quem irei cruzar a tarde, o que posso fazer para ter um dia mais agradável comigo mesma, com as pessoas que me cercam, com que roupa irei a um casamento, se vou conseguir horário para uma consulta na semana que vem, enfim, girando, girando próprio como um ventilador.


Sei o quanto já mudei em relação a ansiedade, mais ainda tenho um longo caminho a seguir... como já me disse o Edmilson* inúmeras vezes, não devo me preocupar tanto com o futuro, afinal ele ainda nem existe, ele nem chegou... e se chegar, não poderemos prever como ele será. Pra que nos preocuparmos?! Isso é muita pretensão nossa!


Um dia de cada vez, cuidado com o devido carinho que merece... mas sem a loucura de senti-lo como se fosse o último de nossas vidas e com a consciência que queremos de forma tranquila e plena estarmos aqui amanhã.... vivendo mais um dia, mas sem ficar querendo prever como será...apenas deixando-se viver... O futuro a Deus pertence... e cabe a nós investirmos no hoje de forma segura, pois no tão temido futuro, temos grandes chances de sermos novamente presenteados com mais um belo dia!


Acalmo minha mente nessas linhas... e agora já consigo ouvir a chuva me chamando calmamente para um sono tranquilo, gostoso... e é claro, sinto a enorme possibilidade de ganhar logo cedo, mais um dia de pura energia... mais um dia de VIDA!



*Edemilson Canci que cito no texto, é um amigo especial... um verdadeiro mestre, que respira comunicação, motivação todos os dias... ele é um ótimo conselheiro... sempre transmitindo excelentes vibrações... e por isso eu o chamo carinhosamente de "Guru".

2 comentários:

  1. Querida Rê,
    os seus textos estão encantadores e muito bem escritos...é... a chuva e esse tempo mais sombrio nos coloca diante do que mais obscuro existe em nós, não sei bem porque isso acontece, mas eu particularmente sinto assim, de qualquer forma a natureza tem seu ciclo, é necessário atravessar as tempestades pra lá adiante ver enfim o Sol bater em nossa janela.
    Algo me diz que o Sol em breve vai invadir todo o seu ser!!Aproveite!
    Bjs, sempre, Isabel.

    ResponderExcluir
  2. Gostei de estar neste SPA de ideias.
    Um dia de cada vez é bem mais fácil do que pensarmos na eternidade...
    ;-)
    BJ***

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para deixar seu comentário, sua participação é sempre muito bem vinda ;)