terça-feira, fevereiro 12, 2008

METADE DE MIM (by Rê Michelotti)


Sempre escuto as pessoas falando sobre suas "metades": a cara-metade, a metade da maçã (acho meio ridícula essa, rsss), a tampa da panela e por aí vai... sempre no sentido de que alguém possa nos preencher ou completar. Então fico pensando... se descobríssemos quem somos e qual nossa verdadeira essência, talvez não precisássemos nos apoiar tanto nos outros... mas sinto que as pessoas de modo geral têm medo de se assumir como verdadeiramente são. E, entendo!

Aceitarmos como somos, é uma questão de desejo e busca. E é preciso que estejamos preparados para o que vamos encontrar em nosso íntimo.

Comecei a pensar nisso hoje quando minha amiga Isa presenteou-me com um trecho de uma linda música, que achei muito interessante:

"Que essa minha vontade de ir embora
Se transforme na calma e na paz que eu mereço
E que essa tensão que me corrói por dentro
Seja um dia recompensada
Porque metade de mim é o que penso
E a outra metade um vulcão
Que o medo da solidão se afaste,
que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável ".
(Oswaldo Montenegro)

Pouco a pouco vou me descobrindo, me encontrando, me aceitando... pois como disse Oswaldo: Metade de mim é o que penso...e a outra metade, um vulcão... e ainda assim desejo viver em paz comigo mesma!

Um comentário:

  1. Oi Rê, saudades !!!

    Gostei do que escreveu.

    Sobre a metade, é como vc disse, a gente vive uma metade tentando esconder a outra, e assim, acabamos sempre por não sermos completos. Acho que é até, pra servir de desculpas para a nossa falta de autonomia.

    P.S: Vc disse q eu sumi, eu deixei scrap pra ti, com meu novo MSN e vc nada, saudades tb, bjus

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para deixar seu comentário, sua participação é sempre muito bem vinda ;)