domingo, maio 18, 2008

DEBAIXO DO SOL, MORRENDO DE FRIO (by Paulinho Moska)


Estou debaixo do sol, morrendo de frio
Procurando qualquer coisa no bolso, mas está vazio
Andando pra nenhum lugar, falando sozinho
Coitado do meu coração
Que se partiu em pedaços em vão
Não me lembro do instante exato, mas sei que caí
No seu abismo de braços e nem percebi
Só consigo recordar a perda de foco
E ausência de luz
Quando acordei já estava na cruz
Vou apagar as pegadas atrás de mim quando sair.
Jogar a chave da casa no fundo do mar
Não quero ter a impressão de que já passei... já passei por aqui
Nem quero estar no lugar que você me procurar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para deixar seu comentário, sua participação é sempre muito bem vinda ;)