sexta-feira, dezembro 11, 2009

STRIP-TEASE (by Martha Medeiros)

Imgem Google

Chegou no apartamento dele por volta das seis da tarde e sentia um nervosismo fora do comum. Antes de entrar, pensou mais uma vez no que estava por fazer. Seria sua primeira vez. Já havia roído as unhas de ambas as mãos. Não podia mais voltar atrás. Tocou a campainha e ele, ansioso do outro lado da porta, não levou mais do que dois segundos para atender.

Ele perguntou se ela queria beber alguma coisa, ela não quis. Ele perguntou se ela queria sentar, ela recusou. Ele perguntou o que poderia fazer por ela. A resposta: sem preliminares. Quero que você me escute, simplesmente.
Então ela começou a se despir como nunca havia feito antes.

Primeiro tirou a máscara: "Eu tenho feito de conta que você não me interessa muito, mas não é verdade. Você é a pessoa mais especial que já conheci. Não por ser bonito ou por pensar como eu sobre tantas coisas, mas por algo maior e mais profundo do que aparência e afinidade. Ser correspondida é o que menos me importa no momento: preciso dizer o que sinto".

Então ela desfez-se da arrogância: "Nem sei com que pernas cheguei até sua casa, achei que não teria coragem. Mas agora que estou aqui, preciso que você saiba que cada música que toca é com você que ouço, cada palavra que leio é com você que reparto, cada deslumbramento que tenho é com você que sinto. Você está entranhado no que sou, virou parte da minha história."

Era o pudor sendo desabotoado: "Eu beijo espelhos, abraço almofadas, faço carinho em mim mesma tendo você no pensamento, e mesmo quando as coisas que faço são menos importantes, como ler uma revista ou lavar uma meia, é em sua companhia que estou".

Retirava o medo: "Eu não sou melhor ou pior do que ninguém, sou apenas alguém que está aprendendo a lidar com o amor, sinto que ele existe, sinto que é forte e sinto que é aquilo que todos procuram. Encontrei".

Por fim, a última peça caía, deixando-a nua
"Eu gostaria de viver com você, mas não foi por isso que vim. A intenção é unicamente deixá-lo saber que é amado e deixá-lo pensar a respeito, que amor não é coisa que se retribua de imediato, apenas para ser gentil. Se um dia eu for amada do mesmo modo por você, me avise que eu volto, e a gente recomeça de onde parou, paramos aqui".

E saiu do apartamento sentindo-se mais mulher do que nunca.

quinta-feira, dezembro 03, 2009

BALANÇO (by Rê Michelotti)

Imagem: Google Image

Não lembro exatamente quando comecei, mas creio que quando tinha uns dez ou doze anos passei a fazer todo final de ano um balanço dos acontecimentos de minha vida. Analisava o que tinha dado certo e também o que não tinha; Observava o que havia concluído; o que tinha deixado pela metade, e o que sequer havia iniciado. Mais que isso, antes do próximo ano chegar com um novo dígito final, planos, desejos e sonhos ainda por conquistar eram estabelecidos como meta.

No início os desejos se resumiam a: “Eu prometo que no próximo ano serei aprovada direto. Não vou pegar recuperação em matemática.” Todo ano o mesmo drama se repetia, notas ótimas em português, ciências, história, mas a matemática lá, insistindo em me enlouquecer. Como diz a música do Papas Da Língua: “... números, números, números... O que é, o que são, o que dizem sobre você?...”

Tudo bem, cresci e hoje já sei que eles dizem varias coisas sobre nós: o quanto nossa conta do banco esta negativa, quantos quilos ainda falta eliminar, quantas voltas eu preciso dar na pista para ter andado 4 km. Os números revelam estatísticas, desvendam mitos, criam novas teorias.
Já no auge da adolescência, a afobação de viver uma grande paixão, de encontrar
o príncipe encantado, o primeiro namorado, virou o grande objetivo anual por alguns anos seguidos. Nessa fase, as meninas ainda acreditam na existência de príncipes encantados... Homens perfeitos que as vão amar do jeitinho exato que imaginam, mas que de fato, provavelmente só deve existir na cabecinha fantasiosa de uma adolescente com o restinho de inocência que lhe resta.

Com o passar do tempo, isto que tinha uma motivação inicial bem típica adolescente cresceu e amadureceu comigo. Tonou-se um hábito interessante, pois ao mesmo tempo em que me dava a oportunidade de me organizar e planejar coisas que eu considerava importantes, podia perceber em que coisas e situações eu ainda pecava, seja por falta, ou até mesmo por excesso. Percebi nisso um jeito de me “auto-corrigir”, tentar melhorar... E assim, venho trazendo o balanço comigo até hoje.

Alguns anos a gente capricha mais nos pedidos, e corre mais efetivamente atrás deles, em especial quando nosso balanço se mostra negativo em aspectos que eram para terem sido primordiais, mas que por alguma distração ou falta os deixamos de lado e acabamos por não nos dedicamos tanto para fazer acontecer!
Em 2009 a lista foi breve, estava bem ocupada com tantas coisas que estavam acontecendo que fui mais objetiva em meus desejos. Aqui posso partilhar um pedacinho da lista que é publicável e que provavelmente continuará no elenco de aspirações para 2010 – Sim, me reservo o direito de não a ser assim um livro tão aberto! Um pedacinho pode. Tudo não!!! (risos)

“Se eu conseguir chegar no horário nos compromissos de 2009, isso já vai ser uma grande conquista!”

Confesso que ainda me atrasei algumas vezes e sei que ainda não estou curada desse mal, mas percebi que ao observar melhor isso, já pude melhorar em muito essa questão, e não pretendo esquecer. Atrasos são sempre desagradáveis e se esperar não me agrada, não vou eu fazer o mesmo com outros.

Segue ainda para 2010 aquele que de um jeito ou de outro, quase toda mulher inclui em todos os seus planejamentos... Sejam semanais, mensais ou anuais, mesmo que seja por um mínimo detalhe:

“Gostaria de eliminar “X” kg esse ano, ou na pior das hipóteses, não encontrar mais nenhum. (sem detalhes, “X” é um ótimo jeito de manter o número em segredo. Risos).

Essa parte de minha vida não daria um capítulo, mas sim uma novela inteira... Mas claro, do tipo “não vale a pena ver de novo”. Mas vamos lá... Desistir, jamais!

Esses são apenas alguns exemplos de coisas que se costuma elencar para os objetivos/desejos de ano novo... Poderia ficar escrevendo mil outras coisas como o desejo de um novo desafio profissional, um lugar especial na vida de alguém, uma viagem sonhada... Enfim, muitas coisas se pode planejar e desejar para um novo ano. Mas a vida com sua dinâmica nos obriga estar em constante construção e reconstrução desses objetivos, por todos os dias que se seguem no novo ano. Afinal, tudo muda o tempo todo. Ainda bem!

Mas a melhor parte de todo esse balanço é poder identificar o que realmente valeu a pena!!! Poder perceber o quanto nossas escolhas nos fizeram mais felizes; ou mesmo quais não foram assim tão acertadas. Termos quem sabe a chance de por um remendo novo no que for possível.

Diria que no saldo não só deste último ano, mas dos últimos dois em especial, percebo que tenho conseguido valorizar ainda mais o que realmente é fonte de energia, alegria e vida pra mim: As pessoas - Meus amigos. Estes entendidos como todos aqueles que fazem minha vida ser assim como ela é. Aqueles que de alguma forma participam como personagens ativos do ato de escrever a minha história.

Eternamente indispensáveis são aqueles que comigo partilham suas vidas de forma sincera, e me fazem também atuante em suas histórias, fazendo com que minha própria seja mais forte e intensa.

Sei que podemos ter bons momentos a sós, e que estes são importantes ou até mesmo necessários. Para refletirmos, compreendermos ou simplesmente descansarmos.

No entanto, não me recordo de um momento que tenha sido realmente marcante ou emocionante pela simples alegria vivida em que não nos encontrássemos na companhia de pessoas tão especiais quanto o próprio momento vivido. Momentos lembrados com saudade e carinho!

São as pessoas, com o que cada uma delas nos oferece a cada instante que fazem o momento ser especial... Inesquecível. E é a soma desses bons momentos vividos que fazem nossa história ser ou não mais interesse e alegre.

As coisas e situações vividas não são maravilhosas por si só. Elas assim o são, pelo conjunto que as compõem: lugar, luz, beleza, frio, calor, mar, cachoeira, neve, velas, vinhos, comidas, doces, cor, cheiro... E o indispensável: AS PESSOAS! Aquelas que por seu próprio desejo escolhem permanecer próximas a nós, vivendo e partilhando o que temos de melhor!

Indispensáveis são os amigos que se aproximam pelo que sou, e assim me aceitam sem tirar nem pôr. São aqueles que comigo somam outros amigos, diminuem dores ou tristezas . Amigos que multiplicam alegrias e dividem histórias parar rir ou chorar... chorar de tanto rir!

Indispensáveis são aqueles que mesmo quando mentir nos parece preciso, ainda assim, sabemos que vão nos permitir dizer a verdade e entender nossos motivos!

Pelos anos passados, pelo presente ou futuro, nada me será mais ou tão importante quanto sentir a presença daqueles que me fazem sentir mais do que uma simples sobrevivente neste pequeno- grande mundo... Indispensaveis são os que me fazem verdadeiramente VIVA e FELIZ!

domingo, junho 07, 2009

MULHER SEM RAZÃO (by Cazuza)

Imagem by my friend Bolivar Trindade
http://www.flickr.com/photos/bolivar-trindade/3554543185/


Saia
Dessa vida de migalhas,
Desses homens que te tratam como um vento que passou.
Caia
Na realidade fada,
Olha bem na minha cara e confessa que gostou.
Do meu papo bom
Do jeito são
Do meu sarro, do meu som
Dos meus toques pra você mudar
Mulher sem razão
Ouve o teu homem
Ouve o teu coração,
Ao cair da tarde.
Ouve aquela canção que não toca no rádio.
Pára
De fingir que não repara,
Nas verdades que eu te falo.
Dê um pouco de atenção
Parta pegue um avião.
Reparta
Sonhar só não dá em nada, é uma festa na prisão.
Nosso tempo é bom e nem temos de montão
Deixa eu te levar então,
pra onde eu sei que a gente vai brilhar
Mulher sem razão.
Ouve o teu homem.
Ouve o teu coração, batendo travado,
por ninguém e por nada na escuridão do quarto.
Ouve o teu coração ao cair da tarde
Ouve aquela canção que não toca no rádio.

quarta-feira, maio 20, 2009

SOBREVIVER NÃO: VIVER! (by Rê Michelotti)

Imagem: by my friend Bolivar Trindade

Minha vida mudou bastante nos últimos meses. Até pouco tempo atrás eu não tinha o compromisso de acordar as seis horas da manhã, de permanecer longe de meu cantinho por praticamente 12 horas do meu dia, que diga-se de passagem, tem apenas 24h como de todos os outros habitantes deste mundo.

Tenho me policiado bastante para não me tornar mais uma que apenas sobrevive a cada novo dia. Quero continuar a ter a sensação que estou vivendo, criando, aprendendo... sobreviver apenas, é um grande desperdício de nossa própria vida!

Continuo fazendo a energia se espandir e o dia parecer maior, e assim, fazer o que gosto: ler, escrever, escutar música e, é claro, encontrar e estar com quem me faz bem.

Quero ter a certeza que a rotina não me deixará anestesiada, e que eu possa manter a consciência de que os dias não param porque estou desatenta ou muito ocupada em fazer a mesma coisa todos os dias, aliás, eu não quero fazer tudo sempre igual. Gosto de novidade, de reinvenção... Gosto do que se move e da sentido a vida!

Tenho medo de deixar a vida se tornar mecânica, sem sal, sem açúcar - sem graça. Tenho medo de me distrair por um instante e deixar coisas importantes passarem, sem que perceba o quanto realmente valem para mim.

Quero poder me dedicar ao trabalho que me faz bem, que me ocupa os pensamentos de forma saudável e não deixa com que me apegue a outros tantos detalhes insignificantes do cotidiano.

As coisas podem ser boas ou ruins... E isso é algo que sempre se pode escolher. Já faz tempo decidi não mais me apegar ao que não me agrada ou ao que me entristece... Isso tem feito com que eu tenha tido dias melhores!

Quando o dia amanhece, mais do que decidir se vamos levantar ou não quando o despertador toca, precisamos escolher como desejamos que o nosso dia seja. Claro que nem sempre o pensamento positivo por si só, nos protege do mal humor alheio, de companhias chatas, ou da convivência, mesmo que por um breve momento com pessoas desagradáveis ou mal educadas. Ainda assim, a forma que conduzimos nossos pensamentos e nossas ações, ajudam muito a fazer do nosso dia um momento melhor.

A rotina que massacra a paciência e a criatividade da gente precisa ser temperada, reinventada... Temos ainda muito para viver, aprender... E-X-P-E-R-I-M-E-N-T-A-R. É preciso manter a energia e a vontade presentes, caso contrário o desânimo bate e a gente pára. Mas o mundo não... O mundo não pára afim de que recuperemos a vontade de ter VONTADE.

Tenho medo do que não tem vida, do que não muda, do que me acomoda ou aliena... Quero mais, quero o novo de novo. Não aceito apenas sobreviver: Eu quero o direito de poder viver INTENSAMENTE, cada instante da minha vida. Quero viver especialemnte o hoje, o aqui e o agora, pois amanhã, sei lá...vai que não vem!!!

domingo, abril 12, 2009

MULHER DESPIDA (by Soror Sekhmet)


Talvez a verdadeira excitação esteja hoje em ver uma mulher se despir de verdade - emocionalmente.

Nudez pode ter um significado diferente.

Muito mais intenso é assistir a uma mulher desabotoar suas fantasias, suas dores, sua história.

É erótico ver uma mulher que sorri, que chora, que vacila, que fica linda sendo sincera, que fica uma delícia sendo divertida, que deixa qualquer um maluco sendo inteligente.

Uma mulher que diz o que pensa, o que sente e o que pretende, sem meias-verdades, sem esconder seus pequenos defeitos - aliás, deveríamos nos orgulhar de nossas falhas, é o que nos torna humanas, e não bonecas de porcelana.

Arrebatador é assistir ao dessnudamento de uma mulher em quem sempre se poderá confiar, mesmo que vire ex, mesmo que saiba demais.

Não é fácil tirar a roupa e ficar pendurada numa banca de jornal mas, difícil por difícil, também é complicado abrir mão de pudores verbais, expôr nossos segredos e insanidades, revelar nosso interior. Mas é o que devemos continuar fazendo.

Despir nossa alma e mostrar pra valer quem somos, o que trazemos por dentro.

Não conheço strip-tease mais sedutor.

NOVOS VENTOS... (by Rê Michelotti)


Quanto tempo que não venho aqui no "meu spa de idéias" e olha que não é por falta de idéias, pelo contrário, idéias e assuntos nunca me faltam; o que tem me faltado ultimamente é força para ficar até tarde conectada.

Novos ventos sopraram este ano para mim, e tenho estado empenhada em aproveitar cada segundo desses ventos tão esperados. São coisas simples, mas que eu queria muito e que agora começam a tomar forma, tomar rumo!

Estou vivendo um bom momento, amadurecendo mais uma etapa da minha vida... Me reinventando, me adaptando às novas exigências que se apresentam. Mas enfim, o mais importante disso tudo, é que estou vivendo uma fase gostosa, de aprendizado, descoberta de mim mesma e de minhas potencialidades.
Estou enfim dando um novo sentido para muitas coisas na minha vida. Me sinto em realização! Estou feliz, e isso é o mais importante que tenho a dividir com quem acompanha o meu blog.

Que meu bom momento de alguma forma se reflita postivamente naqueles que estão por perto, que estão comigo por essa vida à fora.

Viver um dia de cada vez... Eis a chave para que nos encontremos sem atropelos, ansiedade ou medo. Vivendo com paz e tranquilidade o que se tem para viver. Curtindo o que é bom e buscando melhorar o que não nos agrada tanto assim. O passado já foi, mas o futuro esta em grande parte em nossas mãos, especialmente nas escolhas que fazemos!

Que 2009 seja um grande ano, melhor do que 2008, mas não tão bom quanto 2010... Devagar até pode ser, mas por favor, sem pausa!

sexta-feira, janeiro 23, 2009

GESTOS QUE FALAM (by Rê Michelotti)

Imagem de meu arquivo pessoal - 2007

Para demonstrar carinho, amor, gratidão ou reconhecimento não precisamos necessariamente de auto-falantes, propagandas em jornal, outdoors ou nenhuma outra forma tão explícita de declaração de nossos sentimentos. Todos estes podem ser apenas sentidos, vivenciados nas ações e atitudes do outro diante de nós.

No entanto, muitas pessoas têm dificuldade em expor sob qualquer forma o que carregam no coração. Nem aos que devotam grande carinho e admiração conseguem externar, mesmo que em gestos simples, por serem tão discretas ou mesmo tímidas para tais demonstrações de afeto.

Isso não é um defeito, talvez apenas uma dificuldade que pode ter surgido pelas mais variadas razões, ou nem isso. As vezes ocorre pelo simples fato desta pessoa achar que não há necessidade de dizer de quem gosta ou porque gosta, pois a sua maneira, ela acredita que demonstra tudo que sente.

Mesmo os mais extrovertidos, em algum momento ou quando o assunto é assim mais pontual, no sentido de demonstrar carinho por alguém, fica meio "travado". Sente insegurança, medo de ter sua declaração não entendida, mal interpretada, ou mesmo não correspondida. E assim, prefere apenas tentar deixar implícito o que sente.

Algumas pessoas têm realmente uma forma especial de nos demonstrar seu carinho, e sem nenhum esforço se fazem presentes com sua amizade, sem sequer precisar traduzir em palavras o que sentem. Diria que este é um dom, e muito bem vindo, diga-se de passagem. Pois muitas vezes temos ao nosso lado alguém que nem sempre ou até mesmo, raramente consegue ser assim tão claro de seus sentimentos; e desta forma, mesmo que este nos considere extremamente importantes para as suas vidas, nós, mesmo que a seu lado não notamos o quanto nos tem apreço.

Partilhei de um momento marcante da vida de uma pessoa que amo muito, uma daquelas que tem um lugarzinho VIP em meu coração. Foi um momento especial dela, e por isso, assim também o foi para mim.

Entre tantas coisas que este momento trouxe consigo, tive a oportunidade de ler a página de agradecimentos de um de seus trabalhos, que lhe foi fundamental para a conclusão desta caminhada. E nestes agradecimentos, encontrei-me em meio a algumas linhas. Foi então que pude perceber de forma mais evidente o tamanho de seu carinho por mim, e não apenas por mim, mas também por aqueles que estão diretamente ligados a mim.

Poucas linhas, mas com um significado extremamente significativo para mim. Sei o quanto é discreta para fazer tais demonstrações, e essas vindas assim, de forma espontânea, tiveram um valor ainda mais especial. Foi um momento gostoso de carinho, e de fato me emocionou... No entanto, esta emoção me deixou de certa forma sem palavras! E olhe que para me deixar sem palavras, não é fácil. (risos)

Desde então, venho refletindo sobre o quanto muitas vezes ignoramos sentimentos que nos são ofertados, por não termos sensibilidade suficiente para percebê-los sem que as palavras fossem necessárias. Neste caso específico, não diria que nunca tinha percebido este amor, pois sei que temos um carinho especial entre nós, por "N" razões que extrapolam ao simples fato de sermos de uma mesma família. Mas me remeto a tantas outras pessoas que nos cercam e que não temos a menor idéia da proporção que ocupamos na vida delas, e tampouco elas em nossas vidas.

E agora fico aqui me perguntando, quantas vezes deixei de demonstrar meu carinho por pessoas que me são tão importantes, e que sem elas minha vida não teria o mesmo sentido que tem hoje. Quantos amigos e amigas, quantos familiares, que eu jamais dirigi uma palavra forte o suficiente para registrar o meu carinho. Quantos amigos que mesmo distantes por tanto tempo me fazem falta, me fazem sentir saudade e lembrar deles muitas vezes no decorrer de minha vida. E porque não falar daqueles que se fazem presentes dia após dia, de uma vida inteira... Pode parecer desnecessário falar, pois se estamos todos dias juntos esta implícito que os amamos. Será?!

Desejo que as palavras não sejam insubstituíveis para declararmos nosso amor a quem queremos tão bem. Mas desejo mais ainda, que nossos gestos sejam claros os suficientes para não deixar dúvidas de nossos sentimentos, desde os mais simples aos mais profundos. Que nossos gestos e atitudes provem o valor verdadeiro de cada pessoa e o quanto queremos e lhe desejamos o bem... Apenas o melhor que há no mundo!


terça-feira, janeiro 20, 2009

TENTE, REINVENTE (by Rê Michelotti)

Imagem disponível em: http://www.overmundo.com.br

Por onde quer que eu vá, com quem quer que eu fale, sempre acabo tendo a mesma conclusão sobre tantas coisas... A ordem atual parece ser única: Reinventar! Reinventar a vida, a alegria, a amizade, a dor, o sofrimento e até mesmo o amor.
A vida atualmente é de modo geral tão corrida para a maioria das pessoas, o que acaba por forçá-las a novos modos de viver, se divertir, fazer amigos e porque não, de amar.

Mas como se pode reinventar o amor? Tem como? Penso que sim, mas tendo o amor um conceito pré-definido a milhões de anos e disseminado às vezes de forma não tão verdadeira, de forma ilusória, fica complicado mexer... Mudar... Reinventá-lo. Mas ainda assim, penso que com um pouco de reflexão e entendimento do que significa amar, e respeitando o que isso significa para cada pessoa... Isso seja algo alcançável.

Talvez não da noite para o dia, mas num processo incessante de reconstrução, de reinvenção diária. Eis a grande questão: reinventar o amor dia após dia. Se dê esse tempo, de cultivá-lo e reinventá-lo a cada dia melhor... Reinvente o amor e permita-se evoluir com ele ou para ele. Isso pode ser uma experiência encantadora e muito sedutora!

Penso que reinventar o amor é um processo, e como tal tem muitas etapas ou fases. Para evoluir, é preciso do comprometimento de ambos os envolvidos nessa história de amor, é necessário que se tenha cumplicidade. Hum... Essa palavra por si só já é bastante atraente.

Cumplicidade! Essa palavra é mágica num relacionamento. Um relacionamento tem que ser construído pelas pessoas que nele estão envolvidas: com uma pessoa, duas ou mais. Abaixo o preconceito e a hipocrisia! Cumplicidade é entre outras coisas partilhar o todo sem medos ou vergonhas.

Cumplicidade anda ao lado da fidelidade, não da fidelidade física que condiciona a mera exclusividade do corpo. Fidelidade é muito mais que isso: é alma, coração, verdade e sinceridade indiscutível... Isso é fidelidade! É ter no(s) outro(s) o apoio para reinventar a relação de carinho, de amizade, de afeto, de sexo, e é claro, de amor... Tudo junto ou cada qual em seu momento.
Para quem me lê agora, talvez pense: pronto, pirou! Não, pelo contrário, é justamente nessas reflexões que me encontro, e percebo o quanto precisamos ainda evoluir para viver de fato uma história de amor. Não aquele amor romântico regado a muito ciúme, medo, insegurança e tragédia, mas um amor pleno, onde o que mais se deseja é a felicidade do outro. A felicidade do outro, como uma forma de nós mesmos sermos plenamente felizes. O desapego as convenções, ao certo e ao errado, apenas a reinvenção de um amor que seja nosso. Meu e seu, ou de quem quer que esteja em nossa história.

Amar é simples, a gente que complica com tantas exigências. Quando amamos queremos transformar o outro em um reflexo nosso. E aí perdemos o que temos de melhor: as diferenças que nos complementam e nos fazem melhores. Precisamos aprender a respeitar o jeito do outro, desde que este não nos cause mal... Deixemos que cada um seja um... E então possamos somar. Sem sufocar!

Como diz a música “Três” da Adriana Calcanhoto:
“Se você quer amar
Não basta um só amor
Não sei como explicar
Um só sempre é demais
Pra seres como nós
Sujeitos a jogar
As fichas todas de uma vez
Sem temer, naufragar
Não há lugar pra lamúrias
Essas não caem bem
Não há lugar pra calunias
Mas por que não
Nos reinventar”

Temos tanto amor dentro de nós. É muito amor para se ter um único modo ou um único Ser para amar. Como a letra da música mesmo “indefine”, não há como explicar, não basta um só amor... Um só amor sempre é demais para seres como nós, que jogam todas as fichas de uma vez, sem sequer temer naufragar.

Amar não é ter optar, é querer tudo e deixar que o tudo seja possível. Poder partir ou poder ficar. Assim eu também sou... Eu quero tudo: o mundo e seu amor, mas acima de tudo... Sem ser obrigada a optar! Preciso de razões e não de opções para ficar ou partir!

TRÊS (by Adriana Calcanhoto)



Um
Foi grande o meu amor
Não sei o que me deu
Quem inventou fui eu
Fiz de você o Sol
Da noite primordial
E o mundo fora nós
Se resumia a tédio e pó
Quando em você tudo se complicou

Dois
Se você quer amar
Não basta um só amor
Não sei como explicar
Um só sempre é demais
Pra seres como nós
Sujeitos a jogar
As fichas todas de uma vez
Sem temer, naufragar
Não há lugar pra lamúrias
Essas não caem bem
Não há lugar pra calunias
Mas por que não
Nos reinventar

Três
Eu quero tudo que há
O mundo e seu amor
Não quero ter que optar
Quero poder partir
Quero poder ficar
Poder fantasiar
Sem nexo e em qualquer lugar
Com seu sexo junto ao mar...

segunda-feira, janeiro 19, 2009

2009 - SAÚDE PARA TER, DAR E VENDER! (by Rê Michelotti)

Imgem disponível em: www. almacollins.zip.net

Bom Futuro (Música de Nei Lisboa)

Leva linha pra pescar
O pandeiro pra bater
E o tempo pra passar sem perceber
Leva um livro pra reler
Uma história pra contar
E o mais a gente inventa se faltar
Depois de ver o sol nascer
Leva dias de calor
O boné e o protetor
E a rede pra esperar o sol se pôr
Óleo, açucar, sal, café
O prazer de descansar
E o resto a gente vê quando chegar
Depois de mergulhar no mar
De tudo que existir
Só peço a deus não deixe nos faltar
Saúde pra ter, pra dar e vender
Leva noites de se amar
Leva nuvens pra esconder
E a lua pra surgir na hora H
Leva um mapa pra esquecer
Onde a estrada terminar
Depois a gente vê se vai voltar
Quem sabe o que o amanhã dirá
De tudo que existir
Só peço a deus não deixe nos faltar
Saúde pra ter, pra dar e vender
De tudo que existir
Tomara deus nos lembre de guardar
Saúde pra ter, pra dar e vender


Esta Música esta em meus arquivos, mas nunca tinha me dado ao trabalho de escutá-la. Antes de viajar para o RS gravei alguns CD's com musicas diversas, sem me preocupar muito em selecioná-las; boa surpresa, esta estava entre elas.
Uma música muito gostosa de ouvir, com uma mensagem de desejo de bom futuro...então, bom futuro nesse 2009...Que tenhamos todos, " Saúde pra ter, pra dar e vender".

Além da mensagem de um bom futuro, fica também uma breve reflexão minha sobre a música...Muitos querem tanto dias na praia, mas como eu não sou assim tão fã, me identifiquei também com algumas coisas da música, como levar uma rede para esperar o sol se pôr!!! Praia, mas com menos sol...faz mal pra pele!!!rs

Praia é bom para descansar, refletir, mudar a rotina... Nada como um fim de tarde ou uma noite na praia pra colocarmos nossos pensamentos em dia!!! Praia a noite é um ótimo momento para ficarmos em paz com nós mesmos!

Bom futuro... Bom 2009... Com saúde pra ter, dar e vender!!!

domingo, janeiro 04, 2009

PRÊMIO DARDOS


"Com o Prêmio Dardos se reconhece os valores que cada blogueiro mostra cada dia em seu empenho por transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais etc., que, em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, entre suas palavras."
Recebi a indicação do meu amigo Marcos Forte, o qual tenho acompanhado seu blog a um tempinho já... e sempre encontro por lá bons textos, onde se pode tirar reflexões sobre a vida...Gosto muito da forma como ele escreve. Obrigada pela indicação Marcos!!


O prêmio Dardos possui três regras:


1- aceitar exibir a imagem.

2- Linkar o blog do qual recebeu o prêmio.

3- Escolher 15 blogs para entregar o Prêmio Dardos


Bem, eu leio muitos blogs, mas acompanho assiduamente 3. Mas vou fazer uma lista dos que mais tenho acompanhado nos últimos tempos... Vou acrescentando com o passar dos dias!


1. O Mundo Em Palavras - http://marcosforte33.blogspot.com/

2. O Céu Da Minha Alma - http://www.ceudaminhaalma.blogspot.com/




sábado, janeiro 03, 2009

INTUIÇÃO (by Rê Michelotti)

Imagem Disponível em: www.hotmail.com (Wallpapers)

Aprendi desde cedo que a intuição era algo forte em mim. Embora saiba que ela as vezes pode também nos trair, não lembro da minha ter me pregado nenhuma peça. E hoje, mais uma vez a intuição me abriu algumas verdades.
A vida segue... Independente de qualquer coisa, ela não pára NUNCA!!!!
Não diria que é um momento de loucura, mas apenas de breve divagação... de registrar reflexões.

TPM - TODOS OS PROBLEMAS MISTURADOS (by Rê Michelotti)

Imagem disponível em: fadadacaixinhademusica.blogspot.com

Todo o mês é o mesmo sufoco, são dias de luta, intensa batalha comigo e com todos a minha volta. São dias em que todos os problemas e sentimentos literalmente se MISTURAM... E entro em estado de transe, saio do ar, do real. Entro num mundo inóspito e basicamente sem sentimentos, ao menos não sentimentos muito saudáveis, é claro.

Escrevendo isso agora, não sei se rio ou choro... É exatamente assim. A TPM é uma fase onde a emoção fica meio fora de ordem, fica “out” e impera o meu lado mais (“ir”) racional e cruel até... Ou talvez eu fique com todas as emoções a flor da pele... Como diria Zeca Baleiro em sua música: “ando tão a flor da pele que qualquer beijo de novela me faz chorar”. (Detalhe, nem sou fã de novela... mas enfim, nessa fase até isso me causa algo sim).

Todos Problemas Misturados...
Para quem nunca ouviu falar, ou ainda, acha que isso é chilique de “chatinha”... Me perdoe, essa opinião é apenas de alguém que ainda não teve o desprazer de conviver na prática com uma mulher em plena fase de TPM. E isso não é apenas uma desculpa para dizer que não sou chatinha...Eu sou sim. Nessa fase então,”Chatinha” pode ser até um elogio! (risos)

Nessa fase sou tomada por uma irritação absurda, e qualquer riso meio histérico a meu lado é o suficiente para me tirar do sério. Sabe aqueles dias que a gente esta tão irritado que quando alguém te olha por um tempo mais prolongado, mesmo que seja por algo banal, e você tem vontade de falar aquela frase maravilhosa: O que foi? Tá olhando por quê? Então, em geral nessa fase você não pensa duas vezes antes de falar. Eu bem que tento segurar o ímpeto de perder a compostura, mas em alguns momentos não tem como... Perde-se a linha mesmo!

Eu me atreveria a dizer que talvez essa seja a fase em que “Eu Sou Eu” no meu estado mais bruto, no entanto, talvez a mais verdadeira de todas. Mas claro, ainda bem que é só nessa fase... sou um ser racional... e na TPM perco o bom senso, e falo tudo que vem a mente. E eu mais do que ninguém, sempre defendi que podemos pensar muitas coisas , nem por isso devemos falar tudo que pensamos, a menos que isso venha ajudar, e não ser mais uma crítica nada construtiva. Se for pra falar só para machucar, melhor não falar. Mas me faça ter esse pensamento em plena TPM!!!
Todos Problemas Misturados...
A TPM já me fez pedir a conta, a separação e a compaixão. A TPM já me fez gritar com quem amo, brigar com minha melhor amiga e pior que isso, terminar até uma amizade. My God... Isso tudo é péssimo!!! Mas o que mais eu posso fazer? Eu já tentei muitas coisas...homeopáticos, fitoterápicos e até mesmo os fármacos tradicionais. Nada! Nada além de muitos outros efeitos colaterais terríveis! Será uma sentença sem volta?! Não sei mais nada... Tentativas em vão até em então!
Hoje para alegria de quem lê esta crônica, não me encontro na TPM... Outro dia em plena TPM até pensei em escrever sobre... Acho que chocaria demais! (Risos) Preferi meu primeiro texto sobre a mesma de forma mais Rê Michelotti (sem TPM) e penso que depois pode vir o texto mais, mais...Rê Michelotti (afinal...eu fico mais eu...risos...) e então poderei ter opiniões do meu “before and after” TPM!

Mas como tudo na vida tem um lado bom, com a TPM não seria diferente... O lado bom é quando ela definitivamente passa, e somos tomadas de uma calma e presença de espírito sem fim. Se conselho fosse bom, ninguém dava, vendia...Já diz o velho ditado, mas vou me arriscar a dar o meu: enquanto não passar, melhor evitar o contato... Ou como as próprias letras dizem por si só... TPM – TENTE no PRÓXIMO MÊS!!!

MALDITA TPM...
Todos os Problemas Misturados.
Tendências a Pontapés e Murros.
Temporada Proibida para Machos.
Toda Paixão Morre.
Tô P*** Mesmo.
Tocou, Perguntou, Morreu.
Tente no Próximo Mês.
Tô Pirada Mesmo.
Tempo Para Meditação.
Totalmente Pirada e Maluca.
Tendência Para Matar.
Tira as Patas, Maldito!

Obs.: Esse pequeno dicionário de sinônimos para TPM não sei exatamente quem criou, mas já vem rolando na net a um bom tempo. Para amenizar a tensão pré-TPM...Esta valendo!!! (Ah, você achou que era só TPM? Nada… Tem a Pré-TPM também!!! – Risos...risos...risos...).