quarta-feira, janeiro 12, 2011

Desculpe-me (by Rê Michelotti)


Imagem disponível em Google Images


Tenho percebido uma certa banalização do ato de “Desculpar”. Usam indiscriminadamente esta nobre palavra para tudo e qualquer situação, ainda que esta não seja o suficiente para anular determinados atos. Pensando nisso, busquei no dicionário* um conceito mais consistente para a palavra em questão e lá encontrei a seguinte definição:
Desculpar
1. Sinônimo de perdão de culpa ou ofensa;
2. Alegação atenuante ou justificativa de culpa, ofensa ou descuido;
3. Escusa ou pretexto.

Resumindo, percebe-se claramente que temos o hábito de pedir desculpas quando passamos dos limites com alguém por tê-lo ofendido, nos descuidado com esta pessoa ou ainda quando queremos nos justificar por algo não realizado por exemplo. Até aí tudo bem, é um bom hábito inclusive... Afinal reconhecer nossos erros e nos desculparmos por alguns escorregões fazem parte do bom convívio. Somos imperfeitos por natureza, logo, esta palavra eventualmente vai mesmo se fazer presente no nosso cotidiano. Porém, todavia, entretanto... Tome cuidado se esta palavra estiver no ranking das suas mais usuais.

Se você faz parte do vasto grupo de pessoas que usa a famosa expressão “Me desculpe” incessantemente e indiscriminadamente, fique atento, pois isso pode ser um indício de que você está sendo excessivamente descuidado e ainda está insistindo nos mesmos erros ou deslizes, um após o outro. Sua imagem pode (e vai) acabar sendo ‘’queimada’’ com tantas desculpas repetidas.

Ninguém pode exigir do outro o perdão eterno... Isso é coisa para Santo, para Deus... E cá entre nós, eu não tenho cruzado com eles ultimamente.Vocês tem?! Então meus caros, vamos maneirar nossas ações e atitudes com os demais. Esse negócio de que errar é humano já está passando do limite do aceitável como piadinha sem graça, mas que é levada tão a sério quando convém, diga-se de passagem. Mas se é assim que se deseja encarar as coisas, com humor e uma piadinha para ilustar, temos também uma réplica mais sem graça ainda para esta:“ Se errar é humano, repetir o mesmo erro é burrice”. Estamos entendidos?!
Cada um com os seus problemas... Mas não me venham com argumentos fracos e vagos para justificar suas faltas com o mundo, ou ainda que para uma única pessoa ou situação... Não dá! Tudo que é demais ou repetitivo... Enjoa e cansa! Perdoar tem um limite.
Todos temos um limite, as vezes apenas não o conhecemos até que sejamos testados na prática... Mas todos temos sim um limite para as coisas e que varia de pessoa para pessoa. Eu particularmente estou cansada de ouvir sempre alguém dizendo: Me desculpe! Me desculpe!
Não dá para desculpar sempre. E de novo... E mais uma vez... E outra...
Apenas pedir desculpa não cancela nossos atos impensados ou insensatos. Só pedir desculpas não resolve a vida num passe de mágicas, curando todas as frases que não deveriamos dizer ou ouvir. Só pronunciar o famoso "desculpe-me" não apaga falhas, dores, prejuízos e tudo mais... Não se iluda com um breve pedido desses.

Quer saber?! Me desculpe você, mas perdoar tudo e sempre... não dá mesmooo!!!

* Dicionário Priberam online - http://www.priberam.pt/dlpo/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para deixar seu comentário, sua participação é sempre muito bem vinda ;)