sexta-feira, maio 06, 2011

Emoções Tóxicas – Parte I (by Rê Michelotti)

Imagem: arquivo pessoal Rê Michelotti - Agosto/2010


Iniciei a leitura de um livro muito interessante... E por tê-lo assim considerado, resolvi partilhar através do blog minhas próprias reflexões acerca do mesmo. O livro a que me refiro é o que também da em parte nome ao título deste post: “Emoções Tóxicas: Como se livrar dos sentimentos que fazem mal a você”,  do Psicólogo e escritor Bernardo Stamateas, que também é o autor do livro “ Gente Tóxica”, que virou Best-seller internacional.
O assunto em principio é aquele sempre reincidente nos livros de psicologia ou auto-ajuda, como queiram... Autoconhecimento e as emoções que precisamos controlar para levar uma vida mais plena e saudável com os outros, mas em especial com a gente mesmo. No entanto, este livro consegue ser bem didático, fazendo com que possamos entender e identificar facilmente a que tipo de emoções estamos sendo expostos e de forma podemos neutralizá-las ou ao menos minimizá-las em seus  efeitos tóxicos sobre nosso cotidiano.
Como não poderia deixar de ser, um dos primeiros itens tratados no livro fala sobre a famosa e tão corrosiva emoção chamada “ansiedade”, que segundo Bernardo, nós a sentimos quando estamos nos sentindo próximos a uma ameaça ou então quando estamos vendo o futuro de forma muito negativa e por conta disso, nos pomos a tentar nos preparar para as milhões de coisas que nossa mente teme. É exatamente na mente que tudo começa... os medos, os negativismos e todas as outras tantas emoções tóxicas que existem. A ansiedade é algo até certo ponto natural, mas não podemos nos deixar dominar por ela, pois ela em excesso nos danifica. Faz com que o medo de algo nos paralise.
Considerando então que esse sentimento de ansiedade começa em nossa mente, temos que dar um jeito de estarmos conscientes disso, e assim que um pensamento não tão bom surgir, um medo, ou seja lá o que for chegar... que a gente possa conduzir nossos pensamentos por outros caminhos; Caminhos menos dramáticos ou amedrontadores. Podemos fazer isso, afinal de contas nossos pensamentos são as únicas coisas que podemos dizer serem ainda exclusivamente nossas e de mais ninguém. Não é a toa que às vezes desejamos poderes mágicos para entrar nos pensamentos de alguém... Afinal de contas, para isso ainda não inventaram um jeito, ou melhor, inventar até inventaram, mas por sorte não uma técnica de domínio de todos.
Podemos tentar então conter as coisas ruins ou, ainda melhor, mantê-las longe de nós. Sei que não é algo fácil, mas se realmente desejarmos, tenho certeza que poderemos curtir apenas bons pensamentos, positivos e que nos tragam boas vibrações. Isso não será sentido apenas por nós, mas por todos aqueles que de um jeito ou outro convivem a nossa volta. É importante lembrar que recebemos do outro o que oferecemos... As nossas boas vibrações oferecidas se reverterão em boas vibrações recebidas!
Bernardo alerta ainda para alguns sintomas típicos que caracterizam a ansiedade como: medo, insegurança, preocupação, problemas de concentração, insônia, tiques nervosos ou ainda aquela triste sensação de perda de controle da própria vida ou do meio em que vive... Esses são alguns sintomas leves, pois existem alarmes mais graves que revelam a ansiedade como a opressão no peito, pressão alta, falta de ar, suor excessivo, impotência, entre outros.
O tema da ansiedade é ilustrado com o interessante pensamento de Charles Spurgeon que fala: “ A ansiedade não esgota as angústias do amanhã; só esgota as forças de hoje.” Uma grande verdade, não adianta sofrermos com o que está por vir... Se não temos as soluções para o futuro que se aproxima, não vamos nós estragar ainda o dia de hoje com tanta ansiedade pelo que ainda nem aconteceu. Penso que a moral desse tema é, viver com prudência... Não como se fosse o último dia, mas como tem que ser... Um dia de cada vez, aproveitando tudo que ele puder nos proporcionar hoje, de preferência agora... Afinal de contas... o futuro pode ou não acontecer...o agora já é!
Resolvi que não quero mais ser dominada por ansiedade alguma, então... A partir de agora vou estar atenta em não perder o foco das coisas que realmente me interessam... Dos meus objetivos, afastando tão rápido quqnto eu conseguir os maus pensamentos da natureza que forem. Quero que o mal, o desconforto, o medo e a temida ansiedade fiquem longe de mim. Tenho certeza que se nos concentrarmos em melhorar nossos dias com bons pensamentos, consegue-se. Vamos parar de ler coisas ruins, ouvir fofocas sem fundamento ou ver o que quer que seja sem que realmente nos acrescente algo positivo. Vamos usar mais nosso tempo para cuidar de nós e dos que amamos... Seja fazendo uma caminhada juntos, escrevendo um bilhetinho, mandando um email com algo legal e divertido... Vamos encher nosso tempo com coisas que realmente não apenas nos ocupem, mas nos ensinem algo novo. Vamos buscar aprender mais e mais... Conhecimento nunca é demais!
Procuremos conviver com pessoas boas, inteligentes e de excelente humor. Isso tudo é motivador e nos incentiva a fazer mais, a sermoss mais intenso em tudo que fizermos. Nos afastemos dos vampiros emocionais, aqueles que só nos tiram energia e não nos oferecem nada em troca. Ajude o outro, porque ajudar também faz bem a quem o faz sem interesse próprio, mas fuja daqueles que só sabem pedir ajuda, mas quando você precisa lhe diz: Desculpe, agora eu não posso! Tudo nessa vida tem que ser um partilhar, uma troca... Se alguém só está querendo sugar a gente, essa é uma pessoa tóxica que devemos deixar bem longe. Afinal, com um mundo tão cheio de gente legal, para que precisamos ter que aturar pessoas desse tipo?! Simples, não precisamos!



P.S: Em breve postarei mais algumas considerações sobre a leitura em andamento!

Um comentário:

  1. Anônimo1:23 AM

    Parabéns pela excelente reflexão. O interessante é notar que estás já evoluindo tanto nesse aspecto de abolir as "emoções tóxicas" que fica latente no teu texto que estás realmente conseguindo introjetar no âmago do teu ser e das tuas atitudes essa nova maneira de viver de forma plena. Bjus. Al.

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para deixar seu comentário, sua participação é sempre muito bem vinda ;)