sexta-feira, março 02, 2012

De Fora Para Dentro... (by Rê Michelotti)

Imagem: Google

Tentei insistentemente entender o meu ''eu interior''... Mas ele era e continua sendo tão complexo que me perder no emaranhado de idéias pulsantes, dúvidas e questionamentos era comum e acabava ficando a deriva em meio a essa desordem mental.

Passei a perseguir outros caminhos para por ordem nesse caos interior, nas coisas, idéias e demais indagações de uma forma que parece até um tanto contraditória, mas com um efeito bem mais concreto: agora me percebo e encontro muito melhor de fora para dentro. Maluca? Talvez, mas pra mim fuciona bem assim.
Quando nos observamos, como se estivessemos fora de nosso corpo, de nós mesmos... Nos tornamos naturalmente menos exigentes conosco mesmos e tendemos menos ao desejo de  querer ver e consertar instantaneamente o que consideramos que está errado. Quando você se analisa de fora pra dentro, você experimenta uma nova forma de se ver e se aceitar. Com as coisas mais claras e menos tumultuadas, toleramos mais nossas próprias imperfeições nos vendo de fora para dentro. 
Quando nos observamos de fora, não nos fixamos nos detalhes complicados de nosso jeito ou personalidade... Analisamos pouco a pouco, até chegar a uma forma mais ampla, mais plena. Analisando de fora pra dentro, aumentamos a tolerância e assim nos aceitamos por inteiro, aceitamos nosso lado bom e admitimos o que em geral temos vergonha ou medo de assumir, que é o nosso lado menos camarada.

A vida de dentro para fora pode parecer mais poética e emocionalmente mais delicada, mas na prática, acaba por confundir ainda mais nosso jeito de perceber as coisas, pois agimos por impulso único dos sentimentos e nunca pela razão. Se queremos de fato entender alguma coisa, sinceramente, o coração acaba atrapalhando... Até mesmo se o assunto for AMOR. A razão é uma excelente conselheira. Já vi muitas pessoas se arrependerem por terem agido em meio a emoção, mas jamais vi alguém se dizer arrependido de algo que tenha usado sua razão como ponto de partida.

As emoções nos iludem, nos traem, quando nos passam uma falsa impressão da realidade. Impressão muitas vezes que é apenas nossa e não compartilhada com ninguém mais. A razão não mascara, não vela sentimento algum, ela é o que é. As vezes pode ser difícil de aceitar as coisas que a razão aponta, mas ela provavelmente não nos surpreenderá negativamente no futuro. 

Tentar ver o mundo de dentro para fora parece o caminho mais fácil... Para alguns talvez. Mas se você já tentou muitas vezes e mesmo assim não se entende por esses caminhos, experimente, faça o contrário. Às vezes tentar outros caminhos ou meios, ainda que pareçam impróprios ou contrários ao que se busca...  Pode se mostrar a melhor forma para chegar onde se quer. Afinal, não porque muitos já disseram que nos encontramos de fato de dentro para fora que temos que acreditar. Cada um tem a sua verdade, que se aplica ou não.

Se você está agora à deriva da confusão do seu "eu interior", tente um breve momento de reflexão e busque se ver de fora... Você pode se surpreender com a pessoa que você realmente vai conhecer!

5 comentários:

  1. Olá Rê!

    Na verdade, nossos problemas estão na dicotomia que inventamos para a razão e a emoção. Elas se complementam no equilíbrio do eu. Conseguir harmoniza-las é começar a se conhecer, descomplicar nossa equação interior resolvendo nossas tantas incógnitas.

    Um abração e uma boa semana.

    Antonio (Apon)

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Passando para dar meus parabéns pelo Dia internacional da mulher 08 de março, é apenas um dos 365 dias da Mulher. Vocês que venceram e vencem tantos obstáculos e preconceitos, sem perder a feminina essência.

    Um abração.

    Antonio (Apon)

    ResponderExcluir
  3. Olá Rê !!!

    Que conversa gostosa ! Eu estava precisando de uma luz pois sou muito caótica internamente, não dou conta de mim e gostei muito desta sua idéia de darmos uma chance para uma visão mais simplista , objetiva e realista !
    Vou experimentar, às vezes sou bem prática para certas coisas, mas quando o assunto sou eu, acabo me perdendo na minha própria intensidade e a confusão se instala.
    Também tenho dificuldades em me perdoar, sou muito exagerada e cruel comigo mesma, e às vezes radical com as pessoas, e esta maneira que nos propôs de refletir acredito que irá me ajudar nisso...
    Começando agora mesmo !!!

    Obrigada :)
    Um beijo e bom restinho de semana !!!

    ResponderExcluir
  4. Anônimo9:57 PM

    Oi Rê, tantos anos!
    -
    Tive uma namorada doida que roubou meu msn, e nunca mais consegui falar contigo. Espero que te lembres de mim.
    -
    Beijos,

    Fernando/MG.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fernando... Claro que lembro de vc, como iria esquecer?!rs Deixa teu email aqui que dou um jeito de falar com vc! Beijos.

      Excluir

Sinta-se a vontade para deixar seu comentário, sua participação é sempre muito bem vinda ;)