sexta-feira, maio 25, 2012

Não Sou Uma Ilha (by Rê Michelotti)

 Google Images

Queria ter todo dia o barulho da chuva para dormir. E para acordar, apenas o cheirinho do café fresco.

Queria que o ar só me faltasse de tanto rir ou então de tanto correr livremente.

Queria que para sorrir sempre e somente me bastasse outro sorriso que alguém me desse. E que a dor fosse somente de uma saudade que desse para matar.

Queria ter sempre por perto um amigo, pra confiar minhas coisas e minha historia sem medo de se mal interpretada e julgada.

Queria ter sempre carinho a oferecer e um conselho para dar e acertar sempre no alvo daquilo que quem me procura precisa.

Queria não precisar ter muito amigos, mas que os poucos que eu tivesse me bastassem pra não sentir-me sozinho em meio a multidão.

Queria ter sempre no meu carro a música certa para cada momento... A que me alegra para os dias tristes e a que me acalma nos dias de euforia.

Queria poder sair por aí estrada a fora sempre que a alma pedisse uma pausa, um descanso, uma trégua para seguir adiante.

Queria todo dia lembrar de agradecer mais e reclamar menos. Tenho feito, com resultado, mas sei que posso mais... Sempre mais!

Queria ser o porto seguro constante de dois anjos lindos que ganhei de presente... E que em mim sempre que precisarem, encontrem a compreensão e o conchego de que precisam sem esforço algum.

Queria ser forte quando o mundo me mostra o quanto posso ser frágil. Queria ser um tanto frágil quando teimo ser forte.

Queria me cobrar menos e me aceitar mais. Queria não ser tão impiedosa comigo
mesma e entender que minhas limitações só dizem que sou humana, e não que eu não vou conseguir.

Eu queria e quero tantas coisas... Mas quero especialmente tudo que puder fazer nossas relações com os se torne melhores e mais intensas.

Quero paz e justiça para todos, sem interessar, cor, religião ou orientação sexual.

Queria que todos nós pudéssemos ter o mínimo para vivermos e sermos felizes: alguém para amar, alguém para cuidar, alguém para esperar, alguém para conquistar, alguém para partilhar, alguém para rir, alguém para ensinar, alguém com quem aprender.

Que todos nós tivéssemos a certeza de que nada nessa vida fará sentido se não tivermos ao nosso lado boas pessoas. Boas no sentido de nos fazerem uma companhia genuína, que nos dá a sensação de paz, equilíbrio, tranquilidade e força.

Que tivéssemos a certeza de que a vida só vai fazer realmente sentido quando nos dermos conta do quanto somos feitos da convivência com os outros...e não das coisas que somos capazes de adquirir...comprar... Somos felizes na medida que temos pessoas, gente como a gente que nos ama, e se deixa ser amada por nós apesar dos defeitos, das falhas. Possuímos tantas virtudes e qualidades, cada um de nós tem aos montes, mas teimamos em nos fixar nas falhas.

Que eu tenha, que você tenha... Paz de espírito e inteligência para reconhecer e aceitar os seus próprios erros  e defeitos, mas também daqueles que você ama.

É chegada a hora de pararmos de procurar a perfeição, de desejarmos o que não precisamos. De querer ficar ou partir para onde não podemos. Esta na hora de abrirmos o coração e prepararmos nossa a alma pra vida que acontece agora aqui dentro de nós... Ou lá fora, com você, comigo ou quem quer que seja.

Desejo que sejamos amigáveis com as pessoas, gentis uns com os outros... Tenho certeza que tudo nessa vida só vale a pena se cultivarmos as amizades, o companheirismo e convivência saudável com o outro. Desejo que cultivemos as boas amizades, pois esta nos revigora, nos faz mais... Mais felizes, mais saudáveis, mais tudo.

Se ninguém é uma ilha, sejamos então seres únicos, mas que sabem conviver, tirando de todas as relações o melhor que pudermos e também oferecendo o nosso melhor. Não esqueça, a vida é uma via de mão dupla...Se você não oferece nada, nada poderá exigir também!  

terça-feira, maio 08, 2012

ABSOLUTA... (by Rê Michelotti)

Imagem disponível em: Google

Esta manhã fui surpreendida por uma triste notícia: a morte de uma pessoa. Não era amigo próximo, apenas um conhecido com quem uma vez ou outra cruzávamos e trocávamos algumas palavras... Mas isso não deixou a manhã menos dificil de ser superada.

A morte tem sempre uma presença tão forte, tão marcante, que não é preciso muita intimidade com uma pessoa para sentirmos a sua partida... Ela chega e nos pega sem avisar. E depois disso, fica apenas a certeza de nunca mais ver aquela pessoa. Isso tudo parece ser ainda pior quando a morte chega sem nenhum aviso. Uma pessoa ativa e saudável simplesmente parte, sem mais... Sem sinais, sem prévias, sem nenhuma possibilidade do até mais.

Isso é muito triste. Parece que é triste para quem vai, mas triste mesmo é para quem fica e tem que suportar daqui pra frente a ausência sem tamanho daquele que infelizmente não mais voltará. A certeza de uma saudade grande e sem explicação. Podemos dizer muitas coisas, mas nada poderá confortar o coração de quem perdeu alguém que lhe era tão especial. 

Fiquei meio sem saber o que pensar, como agir... Como sempre que fico sabendo sobre a morte de alguém, entro numa fase de empatia que me machuca demais. Fico tentando entender a dor do outro, a me colocar no lugar dela. Não é algo que faço conscientemente... Quando vejo estou lá, pensando de fato como se eu estivesse vivendo tudo aquilo. E concluo, que se só de pensar dói... Imagina ter de passar por uma perda assim!

Só posso em minhas reflexões pedir que todas as pessoas que perdem alguém tenham força, tenham coragem, e encontrem com o tempo alguns bons motivos para continuar vivendo, apesar de... Apesar de tanta dor, apesar de tanta revolta, apesar de tanta saudade... Apesar de tudo parecer não fazer mais sentido nenhum.

Por mais difícil ou cruel que possa parecer, na vida só temos uma única certeza absoluta: A morte! Todos nós sabemos que ela mais cedo ou mais tarde chegará... Mas é incrível que mesmo frente a tamanha certeza ,ela nos causa tanto espanto e nos surpreenda sempre! E é nessas horas que a gente é lembrado de que não adianta lamentar o que não fizemos ou o que não dissemos, e também não ajudará deixar para fazer ou falar amanhã... O amanhã é  tão incerto, poderá não chegar. Se eu pudesse dar um simples conselho hoje, eu diria, não deixe nada, nada especialmente que seja bom ou muito importante para ser feito amanhã... Hoje é o dia...agora é a hora!

quinta-feira, maio 03, 2012

Chuva (by Rê Michelotti)

Ilustração de Lorenzo Michelotti - 2012

Acordei no meio da noite com o som da chuva que caia sobre a caixa de fibra que protege o ar condicionado... Ainda que eu preferisse ouvir ela mais de pertinho, caindo no meu telhado e não apenas na caixa do ar... Foi uma delicia acordar e depois continuar dormindo com aquele som tão gostoso. Essa é uma desvantagem de se morar em apartamento, a chuva não faz o mesmo barulho, pois ouvimo-la mais distante um pouco... Ainda assim, adoro chuva!

E quando penso no quanto gosto da chuva, lembro da minha mãe que sempre que chovia ficava toda feliz e dizia: "coisa boa essa chuva, esse barulho, esse ar". Ela não se importava nem um pouco com um possível incomodo da chuva, nem quando tinha que sair para trabalhar ou resolver o que quer que fosse. Aprendi com ela a me encantar com a chuva. Eu não sei explicar ao certo, mas é uma sensação meio mágica... As gotas que escorrem na vidraça inspiram, o friozinho que ela traz acalma e a mente se aquieta de uma forma plena e agradável.

Gosto de chuva, tempestades, ventanias. Os raios e os trovões me causam um misto de medo e atração. É o perigo e a beleza do desafio. E o que dizer da neve? Às vezes me pergunto, porque gente que odeia mora em meio a tanta neve e eu que suspiro só de pensar ou ver nas cenas de filme moro num país tão tropical? Há pessoas que tem sonhos enormes que completam à tão repetida frase: "não quero morrer antes de...". Com toda certeza, ainda que já tenha visto neve de pequena intensidade, desejo mais... Quero sim poder deitar e rolar em meio à neve! Parece coisa de criança, mas é bem isso que quero! Eu não quero viajar para não sei onde, conhecer não sei quem... Eu só não quero morrer antes de ver a neve, muita de preferência.

As coisas da natureza me encantam de verdade. Encanta-me pela beleza, pela forma, pela força, pelo desafio. Encanta-me em especial, porque é forte... A natureza age e faz como quer! Eu gosto das coisas da natureza porque me identifico por meio delas... Como no poema de Clarice Lispector que acredito traduzir também meu pensamento e afinidade com a natureza: "Sou como você me vê. Posso ser leve como a brisa ou forte como uma ventania. Depende de quando e como você me vê passar.” Eu, com certeza sou assim...