terça-feira, maio 08, 2012

ABSOLUTA... (by Rê Michelotti)

Imagem disponível em: Google

Esta manhã fui surpreendida por uma triste notícia: a morte de uma pessoa. Não era amigo próximo, apenas um conhecido com quem uma vez ou outra cruzávamos e trocávamos algumas palavras... Mas isso não deixou a manhã menos dificil de ser superada.

A morte tem sempre uma presença tão forte, tão marcante, que não é preciso muita intimidade com uma pessoa para sentirmos a sua partida... Ela chega e nos pega sem avisar. E depois disso, fica apenas a certeza de nunca mais ver aquela pessoa. Isso tudo parece ser ainda pior quando a morte chega sem nenhum aviso. Uma pessoa ativa e saudável simplesmente parte, sem mais... Sem sinais, sem prévias, sem nenhuma possibilidade do até mais.

Isso é muito triste. Parece que é triste para quem vai, mas triste mesmo é para quem fica e tem que suportar daqui pra frente a ausência sem tamanho daquele que infelizmente não mais voltará. A certeza de uma saudade grande e sem explicação. Podemos dizer muitas coisas, mas nada poderá confortar o coração de quem perdeu alguém que lhe era tão especial. 

Fiquei meio sem saber o que pensar, como agir... Como sempre que fico sabendo sobre a morte de alguém, entro numa fase de empatia que me machuca demais. Fico tentando entender a dor do outro, a me colocar no lugar dela. Não é algo que faço conscientemente... Quando vejo estou lá, pensando de fato como se eu estivesse vivendo tudo aquilo. E concluo, que se só de pensar dói... Imagina ter de passar por uma perda assim!

Só posso em minhas reflexões pedir que todas as pessoas que perdem alguém tenham força, tenham coragem, e encontrem com o tempo alguns bons motivos para continuar vivendo, apesar de... Apesar de tanta dor, apesar de tanta revolta, apesar de tanta saudade... Apesar de tudo parecer não fazer mais sentido nenhum.

Por mais difícil ou cruel que possa parecer, na vida só temos uma única certeza absoluta: A morte! Todos nós sabemos que ela mais cedo ou mais tarde chegará... Mas é incrível que mesmo frente a tamanha certeza ,ela nos causa tanto espanto e nos surpreenda sempre! E é nessas horas que a gente é lembrado de que não adianta lamentar o que não fizemos ou o que não dissemos, e também não ajudará deixar para fazer ou falar amanhã... O amanhã é  tão incerto, poderá não chegar. Se eu pudesse dar um simples conselho hoje, eu diria, não deixe nada, nada especialmente que seja bom ou muito importante para ser feito amanhã... Hoje é o dia...agora é a hora!

Um comentário:

  1. Oi Mi, obrigado por comentar lá no blog pensecomigo.

    Esta semana tive uns momentos de deprê por pensar nas perdas e nas coisas ruins que acontecem bem perto da gente.

    A morte de um professor querido de uma escola... a mulher que foi mexer na cadeirinha da filha no banco traseiro, invadiu a pista contrária e matou dois homens novos e a filha também morreu... o senhor que se acidentou e perdeu a visão... o pai que comprou um cavalo para o filho e o filho faleceu devido a um coice do presente... tudo isto aconteceu em Brusque, pode?

    as vezes fico doido e desligo o telejornal! é tanta notícia ruim...

    sobre seu texto ainda, já tive muitos momentos de reflexão sobre a morte. acho que ela mexe com nossa existência limitada. li este texto que me fez pensar bastante http://www.caiofabio.net/conteudo.asp?codigo=02415 o texto é bem religioso, mas vale a penas ser lido até o final. leia pra ver o que achas...

    no meu caso tenho muito esta fobia da morte, pois vejo que volta e meia quero fazer algo que seja reconhecido...

    valeu!!!

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para deixar seu comentário, sua participação é sempre muito bem vinda ;)