quarta-feira, julho 04, 2012

Vida a dois: Sinceridade x Individualidade



Em um dos artigos da antropóloga Mirian Goldenberg, que mais uma vez trata do relacionamento afetivo-sexual dos brasileiros, ela levanta uma interessante questão: “Como conciliar sinceridade absoluta e cumplicidade com respeito à privacidade e a individualidade?”.

Se pensarmos na sociedade atual, homens e mulheres têm seus espaços definidos sobre uma nova ótica, onde a conquista da igualdade entre os gêneros parece se firmar fazendo-nos iguais em direitos, deveres e obrigações. No entanto, percebe-se que uma nova discussão vem sendo direcionada ao campo dos relacionamentos afetivos e sexuais, procurando as melhores maneiras de nos relacionarmos com o outro sem deixar que ambos percam sua individualidade.

Todos nós sabemos, por experiência própria, as alegrias e dores que podem decorrer de um relacionamento afetivo-sexual. Quantos desentendimentos, discussões e dores de cabeça! Não é uma tarefa fácil. Ainda assim, parece-me que nove em cada dez pessoas ainda cultivam essa vontade de ter alguém para dividir os momentos da vida, para ter alguém especial e da mesma forma se fazer especial para o outro.

Mas claro que há exceções, como aqueles que por opção preferem viver sós ou aqueles que apenas não admitem o desejo de ter uma companhia por medo de falhar nessa procura. É preciso respeitar as escolhas, afinal, cada um sabe de si.
Continuamos então na caça da “pessoa certa”, aquela que será a parceira na construção do relacionamento “ideal” e dentro dos interesses e expectativas de ambos. Será que é possível construir esse relacionamento? Talvez...

Quando falamos nas diferentes questões envolvidas num relacionamento, é possível perceber um grande conflito entre os valores tradicionais de um relacionamento, como o de fidelidade e o da segurança, com os valores tidos como modernos de individualidade, experimentação e privacidade na relação. Isto fica evidente nas constatações da antropóloga.

Resumindo, hoje se quer ter uma relação de fidelidade e sinceridade absoluta do parceiro, mas quer-se também ter direito a privacidade e experimentação. Ou seja, muitos querem exclusividade afetiva e sexual, querem que outro não esconda nada, mas querem também uma vez ou outra poder experimentar outras sensações fora do relacionamento e não precisar se explicar muito, porque senão é invasão de seu espaço e de sua privacidade.

Como você pode querer ter direito a individualidade e privacidade, se ao mesmo tempo você deseja sinceridade e fidelidade da outra parte? Interesses conflitantes, não é mesmo?

Para visualizarmos melhor isso, pensemos num exemplo prático:
Um casal acordou entre si que uma vez por semana, terão liberdade para ter uma noite livre para fazer o que bem entenderem com seus amigos, sob pena de não perderem o contato com os amigos e nem se sentirem presos na relação. Até aqui tudo bem, fácil.

Mas e onde fica a tal sinceridade absoluta que homens e mulheres desejam? Para que se tenha essa sinceridade, inevitavelmente haverá uma invasão da privacidade do outro, pois se desejará saber aonde vai, com quem vai ou mesmo o que fizeram.

Na teoria a pergunta inicial feita por Mirian Goldenberg parece ser facilmente respondida, resolvida; e ambos ficariam felizes e realizados em ter tanto a sinceridade, quanto a sua privacidade preservada. No entanto, esta é uma pergunta que não terá uma resposta direta ou única...

Acredito que cada casal deve estabelecer os limites que desejam para sua relação. É muito importante que se estabeleça os limites conjuntamente e que na prática não seja unilateral. O que vale como regra pra um, vale para outro.

É uma pergunta para pensarmos em nossos relacionamentos, no que desejamos e como vamos fazer a coisa fluir da melhor maneira para os dois.

Talvez os dois maiores desejos para a sua relação não seja a sinceridade e o respeito à individualidade, mas certamente existem outros. Assim, considere um momento de reflexão do que é importante para o relacionamento afetivo-sexual que você tem hoje. Dialogue com seu par e, de forma criativa, decidam o melhor caminho pra vocês.

Acredito que o melhor caminho para uma relação boa e saudável parte sempre de uma boa comunicação. Não pense que o outro tem a obrigação de saber tudo que você pensa ou deseja... Abra o jogo, solte o verbo e tenha uma relação cheia de prazer, com liberdade, parceria e sem culpas.




Nota: 
Este texto também encontra-se publicado no Spa de Ideias dentro do site do Jornal o Município. 
Acesse: 
http://www.municipiomais.com.br/site/opiniao/spa-de-ideias/vida-a-dois-sinceridade-x-individualidade


Um comentário:

  1. Olá!

    Seu Blog faz parte de nossa homenagem ao dia do amigo nesse 20 de julho em nossa postagem: Blogando entre amigos. E antecipando as comemorações do dia do Blog. Te convido a participar de uma blogagem coletiva no dia 31 de agosto, com o tema: Blogando entre amigos.

    Um abração.

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para deixar seu comentário, sua participação é sempre muito bem vinda ;)